SÍMBOLOS

O templo da Paróquia São João Batista é repleto de simbolismo que muitos féis não têm conhecimento, a começar pela cúpula, cujo formato lembra a imensidão do mundo. As sete portas representam os sete sacramentos. O presbitério (altar) está colocado sobre uma grande hóstia, simbolizando o sacrifício da eucaristia que ali é ofertado diariamente.

Outra curiosidade são as combinações de cores claras nos vitrais que permitem uma variação de cores, conforme o movimento do Sol. Como o próprio Padre Fiorente dizia, “esta variação é uma chama de ouro e, aqui entre nós, um incêndio de cores”.

Os simbolismos e significados não ficam restritos apenas ao interior da Igreja. Do lado de fora observamos a imponência do grande átrio. As colunas representam os apóstolos, e o formato côncavo é uma forma de acolher quem vem à Igreja com um grande abraço. O mesmo simbolismo pode ser observado nas colunas que cercam o tabernáculo (sacrário) onde dois querubins vigiam o Santíssimo Sacramento.

É claro que não podemos deixar de citar outros três marcos do templo: a cena da anunciação de São João Batista, pintada na Cúpula; o vitral do padroeiro localizado acima do altar e que também serve de logomarca da Paróquia; e a capela dedicada à Nossa Senhora da Penha.

Abaixo do crucifixo do altar localiza-se a urna com toda a documentação histórica do bairro, que foi lacrada no ano de 1991, durante as comemorações do primeiro centenário do bairro de Rudge Ramos. Esta urna guarda cem anos de história do Rudge (1891-1991) e só poderá ser aberta novamente no ano de 2091, por ocasião do segundo centenário.

Deixe uma resposta